Sunday, May 21, 2017

Dois poemas de Judith Teixeira no nº 0 da colecção "P de poesia"


Seleccionados por Jorge Vaz de Carvalho, dois poemas ("Onde vou?" e "Rosas pálidas") de Judith Teixeira integram o nº 0 da colecção "P de poesia". O prefácio (pp. 7-14) da face dedicada às mulheres é da responsabilidade de Rita Taborda Duarte. [Lisboa, A Bela e o Monstro, Edições Lda., 2017.]  

Sunday, May 07, 2017

«Ansiedade"


                ANSIEDADE

Minha Mãe! Minha Mãe! quero dormir -
e o vento não me deixa descansar...
Este silvo não deixa de se ouvir...
Parece a voz d'alguém que anda a penar!

Vem agora, escutar o retinir
dos vidros... começou a trovejar.
Fecha a janela, Mãe! Vem-me cobrir.
Mãe! sinto frio, até no teu olhar!

Foge-me tudo, que eu procuro e quero!
Vem perseguir-me a lenda de «Ahasveros»...
Mãe! - expulsou-me o próprio coração!...

Fui até pela Dor repudiada...
Mãe! quero regressar - voltar ao Nada -
e perder-me na grande escuridão!
Noite - Setembro
1922
[JUDITH TEIXEIRA]

Tuesday, March 28, 2017

Judith Teixeira na «Anim'arte» nº 103


Entre as páginas 4 e 5, plasmam-se uma notas biográficas sobre a escritora ("Judith Teixeira: Notas Biográficas") subscritas por Maria das Dores Almeida Henriques, Diretora do Arquivo Distrital de Viseu.